domingo, 28 de setembro de 2008

Minha salinha



Era uma sala quentinha
Um tapete, ela tinha...
Com flores na janela,
De cortinas puxadinhas
Na estante, livros coloridos...
Nas peredes sonhos
E desenhos bonitos

O chão brilhava como estrela,
A porta estava sempre aberta...
Sempre a nos convidar
A viver novas aventuras...
A imaginar!

Nessa salinha cabe o mundo inteiro!
As gueixas do Japão
E as passistas do Rio de Janeiro
Versos eruditos
E rimas dos cordelistas de Juazeiro

Cabe a minha fantasia
E a sua também
Cabe o imaginário
E a realidade quando convêm

Era linda essa salinha
Se fechar os olhos ainda posso ver
Não era um sonho...
Era um lugar pra sonhar...

Já sei!
Vou fazer uma salinha dessas para mim!
Não precisarei mais fechar os olhos
Para ir a um lugar assim...

Mas não posso fazê-la
Faltariam as tuas mãozinhas sobre a macinha,
Pra modelar as peredes da salinha
Faltaria teu sorriso maroto
Ecoando nas entrelinhas...

Não se pode viver uma aventura sozinha



Autoria: Mayara

Um comentário:

Jowzinha disse...

Vc tem q me ensinar como se faz poesia!!!
Vc faz melhor q eu!!!