segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Eu Te Amo





















Ah, se já perdemos a noção da hora
Se juntos já jogamos tudo fora
Me conta agora como hei de partir

Ah, se ao te conhecer
Dei pra sonhar, fiz tantos desvarios
Rompi com o mundo, queimei meus navios
Me diz pra onde é que inda posso ir

Se nós nas travessuras das noites eternas
Já confundimos tanto as nossas pernas
Diz com que pernas eu devo seguir

Se entornaste a nossa sorte pelo chão
Se na bagunça do teu coração
Meu sangue errou de veia e se perdeu

Como, se na desordem do armário embutido
Meu paletó enlaça o teu vestido
E o meu sapato inda pisa no teu

Como, se nos amamos feito dois pagãos
Teus seios ainda estão nas minhas mãos
Me explica com que cara eu vou sair

Não, acho que estás te fazendo de tonta
Te dei meus olhos pra tomares conta
Agora conta como hei de partir.


Composição: Tom Jobim / Chico Buarque

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Uma menina que sabia escrever como ninguém...


Hoje é minha vez de contar histórias,

e vou contar pra vocês

a história de uma menina.

Uma menina chamada Anita


Na verdade,

Anita não é o nome dela mesmo não.

Na verdadeee...

o nome dela é um pouquinho mais compridinho.

Ana Maria Machado!


É esse o nome da menina

e não poderia ser outro.

Combina, cola, bate direitinho.


Ana Maria Machado...


Tem a doçura e ternura do Ana

a maternidade do Maria

e a força voraz do machado.


Anita!

Como gosta de escrever essa menina...

Como escreve bem!

Inventa histórias como ninguém


O mundo das letras foi feito pra ela

ou seria ela pra ele? ahh!!

Mas o mundo dessa guria não é apenas letras não.

Tem muitos números também


40 anos de carreira,

mais de 100 livros publicados,

mais de 18 milhões de exemplares vendidos,

muitos prêmios.

Cadeira numero 1 da academia brasileira de letras.

Muitas homenagens...

Com essa? Mais uma pra contar?!!

Anita! Ana Maria Machado


É uma aventura a vida dessa menina

de tudo um pouco ela já fez.

Aprendeu a ler sozinha

daí pra frente desembestou de vez


Já foi professora, jornalista, pintora

até programa de rádio ela já fez.

Já teve uma livraria, já enfrentou a ditadura.

E na sua aventura, pra sorte nossa,

deu na telha dessa menina também a vontade de escrever


Uma eterna menina bonita de laço de fita

que teve a esperteza de perceber

que apenas uma mulher que vê o mundo pelos olhos de uma menina

pode entender

o que os adultos precisam

e o que a meninada quer

Quando se trata de ler!


Ela.May


-> esse texto foi apresentado durante o encontro prazer em ler, pela escola estadual Maria de Lourdes com a presença de ana maria machado



segunda-feira, 19 de outubro de 2009

A Alma e a Matéria



Procuro nas coisas vagas
Ciência!
Eu movo dezenas de músculos
Para sorrir...

Nos poros a contrair
Nas pétalas do jasmim
Com a brisa que vem roçar
Da outra margem do mar...

Procuro na paisagem
Cadência!
Os átomos coreografam
A grama do chão...

Na pele braile prá ler
Na superfície de mim
Milímetros de prazer
Quilômetros de paixão...

Vem pr'esse mundo
Deus quer nascer
Há algo invisível e encantado
Entre eu e você
E a alma aproveita prá ser
A matéria e viver...

Procuro nas coisas vagas
Ciência!
Eu movo dezenas de músculos
Para sorrir...

Nos poros a contrair
Nas pétalas do jasmim
Com a brisa que vem roçar
Da outra margem do mar...

Procuro na paisagem
Cadência!
Os átomos coreografam
A grama do chão...

Na pele braile prá ler
Na superfície de mim
Milímetros de prazer
Quilômetros de paixão...

Vem pr'esse mundo
Deus quer nascer
Há algo invisível e encantado
Entre eu e você...

Vem pr'esse mundo
Deus quer nascer
Que a alma aproveita prá ser
A matéria e viver
Que a alma aproveita prá ser
A matéria e viver
Que a alma aproveita prá
Viver!
Que a alma aproveita prá ser
A matéria e viver...


Marisa Monte e Arnaldo Antunes


domingo, 30 de agosto de 2009

Me Revelar











Tudo aqui!
Quer me revelar
Minha letra
Minha roupa
Meu paladar

O que eu não digo
O que eu afirmo
Onde eu gosto de ficar
Quando amanheço
Quando me esqueço
Quando morro de medo do mar...

Tudo aqui!
Quer me revelar
Unhas roídas
Ausências, visitas
Cores na sala de estar...

O que eu procuro
O que eu rejeito
O que eu nunca vou recusar
Tudo em mim quer me revelar...

Tudo em mim!
Quer me revelar
Meu grito, meu beijo
Meu jeito de desejar
O que me preocupa
O que me ajuda
O que eu escolho prá amar
Quando amanheço
Quando me esqueço
Quando morro de medo do mar
Ah! Ah!...

Tudo aqui!
Quer me revelar
Unhas roídas
Ausências, visitas
Cores na sala de estar...

O que eu procuro
O que eu rejeito
O que eu nunca vou recusar
Tudo em mim quer me revelar
Ah! Ah! Ah! Ah!
Tudo em mim!

Zélia Duncan

quinta-feira, 18 de junho de 2009

domingo, 7 de junho de 2009

O vampiro e a fada

Na minha mansão em noites de luar
Vivo a vagar
Vago por dentro
Conto as horas conto os dias
Vampiro que sou voou sereno
A lua e tão intima para mim, mas me afasta de você,
e o sol um loiro que nem mesmo conheço
As pessoas dizem que minha lenda não consegue falar de amor
Mas eu posso te amar sim basta que eu te sinta, basta eu te encontrar.
A lua é tão íntima pra mim, mas me afasta de você
E o sol um loiro q nem mesmo conheço
No jardim da minha mansão,
Tu es a mais linda fada
E ao te ver esqueço do tempo e lembro quando não te vejo
Hoje mesmo enlouquecido sairei em pleno sol
Para beijar-te os lábios e olhar bem nos teus olhos
Dormirei sono profundo pra não acordar sonhando
Lembrarei que tu es fada e eu apenas um vampiro
Fecharei então meus olhos pra não ver teu rosto em pranto
Morrerei bem nos teus braços pelo chão ensolarado
Então guardarei nos lábios o sobejo do teu beijo
Para eternamente nunca ter que te esquecer um dia
E eu não vivi por sangue nem por susto assombrosos
Mas foi por você que vivi
E o sorriso dos teus olhos

Juliano Cardoso

Hermeticae Rosae Crucis

Caminhe
Não olhais pra frente
Olhais,pois, pra si mesmo
E Verás teu destino onde sempre esteve

Caminhe
Os próximos passos são sombrios
Mas não conheceis nem sabeis sobre
Silenciai
e caminhe rumo ao desconhecido

Caminhe
A Luz esta a tua volta,
e dentro de ti Descobri-la
pois e sabereis
Conheceis a verdade
Caminhai de olhos vendados

Caminhe
Contemplai a tua face
E fazei dela tua guia
E assim conhecerás Deus e o Mundo

Caminhe
Meditai sobre te mesmo
E assim meditareis sobre Deus
Lapidai a tua ignorância

Caminhe
Conheceis os mistérios
E silenciará diante dos tolos
E fará de teu silencio o caminho

Caminhe
E chegarás ao ponto de luz
E dele você olhara pra cima e dizeis:
“Falta muito ainda”.
Não desanime

Caminhe

Mago Hirus
video

sexta-feira, 5 de junho de 2009

o que você não vê...

Eu sou esta que você vê...
e aquela que se esconde!
a menina que chora escondida
a mulher destemida...

Me maravilho com as pequenas coisas
me divirto com o tédio
acho graça em não fazer nada
mas adoro fazer tudo ao mesmo tempo
faço da rotina uma aventura excitante

Me canso às vezes...
Fico triste às vezes...

Adoro dançar,
escrever com o corpo cada nota
flutuar no som...
Eu sou esta que você vê
e aquela que se esconde!

E sou aquela a quem ama
a quem teme
a quem odeia

Me apaixono todos os dias
me apego facilmente ao que desperta o meu desejo
mas a poucos entrego o meu amor
a poucos me entrego
eu sou esta...


Ela.May

terça-feira, 19 de maio de 2009

Dar penso a...

Pensa em mim
como quem pensa na chuva
como quem pensa na dor

Pense em mim
como quem pensa no ódio
como quem sente o amor
como quem chora

Pense me mim
como quem pensa no nada
como quem pensa no tudo

Pense...
mesmo que às vezes me esqueça
mesmo que não sinta tanto assim

De vez em quando
ao luar entristecido
antes que se faça adoremecido
pense em mim!

Ela Mesma (.may.)

entre sentimentos e beijos

O beijo por tanto tempo sufocado
hoje sacia os lábios dos enamorados
alimenta o coração...
me faz ofegante

O beijo por tanto sufocado
liberta desejo
alimenta esperança

O beijo...
que abranda o coração
atormenta a mente
que e me faz mais viva
e mais fraca

O beijo que quase me sufoucou
O beijo que quardei pra mim
que quardarei em mim...

O beijo...
Já não sei mais o que ele me traz
Não sei se dor
Não sei se medo
Amor? Paz? Angustia?
Desejo!

O teu beijo!
que me trouxe incertezas
que me tirou o chão dos pés

O teu beijo!
que é meu
e mesmo que em tempos futuros
não mais seja...

O meu beijo...
é teu
mesmo que "nós" já não mais exista


Mayara

segunda-feira, 18 de maio de 2009

o que serei amanhã?

o que será do amanhã?!
e do ontem?
depois do hoje...

18 de maio, 138º dia do ano no calendário gregoriano (139º em anos bissextos). Faltam 227 para acabar o ano

Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
Dia Nacional da Luta Antimanicomial
Aniversário da cidade de Caruaru, Pernambuco
Mitologia grega - Dia ao Deus Pan
Dia Internacional dos Museus

1152 - Casamento de Henrique II de Inglaterra com Leonor, Duquesa da Aquitânia
1804 - Napoleão Bonaparte é coroado Imperador da França, adotando o nome de Napoleão I
1857 - Emancipação da cidade de Caruaru, Pernambuco1910 - A Terra passa pela cauda do Cometa Halley.
1910 - A Terra passa pela cauda do Cometa Halley
1012 - Eleição do Papa Bento VIII.

2006 - Inauguração, em Lisboa, no Museu Nacional de Arte Antiga, da exibição da Colecção Dr. Gustav Rau - De Fra Angelico a Bonnard. Esta exposição tornou-se na maior já recebida em Lisboa.
2007 - Cerca de 4 mil frangos foram sacrificados no distrito de Jaldhaka, no Bangladesh, depois da detecção, pelas autoridades sanitárias, de mais um foco de gripe aviária
2009 - em algum lugar nasce alguém
2009 - em algum lugar morre um outro
2009 - fui a uma aula que não houve
2009 - fui dormir como tantos outros a espera de algo...
2009 - o que farei amanhã?


Labirinto

Sigo perdida
entre rimas, livros
poesias e filosofias

Tento encontrar-te
em cada verso
em cada livro

Sigo perdida
entre lágrimas e dor
papéis e caneta

E caminho...
com a dor que acompanha os poetas

Sigo perdida
entre bocas e abraços
beijos e braços

Mas nenhum deles são meus
nehum deles me têm

Sigo perdida
entre camas e leçóis
vontades e desejos
perfumes e luxurias

E não consigo me encontrar
e nada me faz me completar

Sigo perdida
a procura de um alguém
em busca de você...

E não há como me encontrar
para sempre te perdi
para sempre me perdi

Mayara Barreto
Sou um poço que esconde águas cristalinas,
mas para aproximar-se dele
exijo entrega, cumplicidade, amor.

Luis Costa

Cada um sabe a dor
E a delícia
De ser o que é...


Quando olho no espelho
encontro cicatrizes que a vida fez.
Algumas são profundas na alma.
Outras deixaram marcas quase impercebíveis.

Quando fecho os olhos diante do espelho
percebo lágrimas de alegria percorrerem
vales e canais, que conduzem a momentos
de intensa felicidade.

Quando afasto-me do espelho
tenho a certeza que continuo
sendo o mesmo de sempre:
um ser humano capaz de se encontrar
em suas mais profundas contradições e possibilidades.

Luís Costa

Sobre o reggae...



Eu falo,
muito sobre o que o reggae diz
Tentando te explicar tudo o que sinto quando ouço um reggae raiz
Eu falo, falo, falo, falo, falo muito sobre o que o reggae diz
Tentando te explicar tudo o que sinto quando ouço um reggae raiz
Sou
um desejo incontido,
um sonho quimérico,
um (des)concerto de ideais.
Sou
uma voz meiga e forte,
um poço de indecisões,
a incógnita necessária.
Sou
uma visão paranóica,
uma reminiscência do presente,
um vulto(in)reconhecível.
Sou
uma definição incompleta,
um vaso irretocável,
uma fuga premeditada.

Luís Costa

quarta-feira, 8 de abril de 2009

tempo...
sem tempo para escrever...
sem tempo...
correndo atrás do tempo perdido
correndo para alçar o tempo esparado
o tempo cura tudo
o tempo trás saudade
na verdade mesmo...
que me falta é tempo para escrever...











Mayara Bezerra